Como uma técnica de relaxamento simples pode causar tantos efeitos profundos em todas as áreas da vida, já que as outras técnicas de meditação e de relaxamento parecem não ter os mesmos efeitos? Deve haver algo sobre a experiência da transcendência que seja muito mais profundo do que um simples relaxamento. Nesta página, investigaremos o significado de transcendência.

Há muitas teorias sobre quem somos e sobre a natureza da consciência. Hoje em dia parece que a teoria mais antiga aparenta ser o caminho certo. Os antigos textos védicos descrevem a consciência como um campo, algo que permeia tudo na natureza, e que conecta tudo com tudo, e isso recebe uma expressão individual de consciência individual expression of consciousness através do corpo humano. Na origem dos nossos pensamentos estamos intimamente ligados a todos e a tudo ao nosso redor, e quando transcendemos temos uma experiência direta dessa conexão.

Você não precisa concordar, nem mesmo ler sobre a teoria para obter os efeitos da prática da MT. A MT é uma técnica científica natural que não requer qualquer crença ou compreensão intelectual. Não precisamos dessa teoria para a prática da MT, mas precisamos que ele seja capaz de explicar por que transcender, e somente transcendendo, obtemos efeitos notáveis em todas as áreas da vida.

Qual é o nosso “verdadeiro eu”? Quem somos nós?

A maioria dos cientistas acha que a consciência é o resultado de todos os tipos de processos elétricos em nosso cérebro. Assim como milhões de chaves no chip do processador de um computador trabalham em conjunto para criar a experiência do software, há milhões de processos elétricos e químicos em nosso cérebro que, juntos, criam a experiência de nossa consciência.
Na opinião deles, somos um tipo de robô muito sofisticado, nada mais, nada menos.

Na verdade, a analogia do computador parece lógica porque parece coincidir com a nossa experiência perfeitamente. Todos sabemos que quando colocamos o computador em modo de repouso, o software irá parar de funcionar (repouso). Se algumas partes do hardware do computador não funcionarem corretamente, isto acaba por influenciar na qualidade do software (lesão cerebral). E se o hardware quebrar, então é “game over” (morte).
Nos últimos anos, as ciências médicas evoluíram ao ponto de poder explicar precisamente como funções específicas do cérebro podem criar experiências vãs, isso só reforça esse ponto de vista. Parece não haver outra possibilidade: o hardware cria o software.

Mas, ainda assim, em nossos corações sabemos e sentimos que não somos apenas máquinas ambulantes. Robôs não sentem calor, não tem criatividade, sentimentos ou amor. São exatamente essas qualidades que nos tornam humanos, diferentes de máquinas.

Por milhares de anos enfrentamos um conflito entre o que nossa mente nos diz e o que nossos corações nos dizem, mas a resposta esteve sempre lá.

E por isso há um conflito. O nosso intelecto nos diz uma coisa e o nosso coração, outra. Este conflito já se arrasta há milhares de anos, desde a época dos primeiros filósofos gregos.
Mas a resposta está conosco desde o início dos tempos, apenas temos que mudar um pouco a nossa perspectiva. É possível ser intimamente ligado ao nosso corpo, como software ao hardware de um computador, e ainda sermos mais do que seres puramente mecânicos. Podemos usar outra analogia para descrever o funcionamento do sistema nervoso humano, não como um computador, mas como um rádio.

Imagine que alguém não sabe como funciona um rádio, então o que se vê? Se desligarmos o rádio, a música para de tocar. Mas se começarmos a mexer no hardware do rádio, isso acabará influenciando na qualidade da música, e se o hardware quebrar, não há mais música.
Alguém que não conheça o funcionamento do aparelho estaria convencido de que a música é criada pelo próprio rádio, da mesma maneira como o hardware cria o software.

Mas é claro que sabemos como ele funciona. O rádio é um aparelho complexo que permite ter uma expressão/manifestação local da uma vibração de um campo, de frequências ter uma expressão/manifestação local frequências, um campo que é muito maior do que os limites físicos do rádio. Sabemos que este campo também é capaz de transmitir diferentes tipos de música ao mesmo tempo por meio de vibrações em diferentes frequências: 97,5 FM: música clássica – 101,3 FM: rock – 105,6 FM: musica para dançar, etc.

Da mesma forma, podemos comparar a consciência humana a uma onda no oceano. No oceano sobem diferentes ondas simultaneamente. Cada onda é única, diferente das outras, mas ainda assim todas fazem parte do mesmo oceano. O corpo humano é mais ou menos como um rádio, sintonizado em uma frequência específica, de modo que cada um de nós tem sua própria música pessoal, seus pensamentos.

Esta analogia não entra em conflito com todas as descobertas das ciências médicas atuais. Assim como a música está ligada ao funcionamento do rádio, a nossa consciência está ligada ao nosso cérebro. Ainda assim, essa analogia nos permite pintar um quadro muito mais amplo de nossa verdadeira natureza.

Se estamos conectados uns aos outros, por que não podemos experimentar isso? Na verdade, podemos sim, todos nós, todos os dias.

Em essência, esta hipótese significa que estamos conectados uns aos outros na fonte de nossas mentes. A pergunta lógica seria: Se nós realmente estamos conectados uns aos outros, por que não sentimos assim? Na verdade nós sentimos sim, cada um de nós. Quando acontece um desastre natural do outro lado do mundo, as pessoas em geral doam dinheiro para ajudar as que sobreviveram. Por que deveríamos? Um robô não se incomodaria. Mas nós sim, porque nós não somos robôs. Somos seres humanos, e ser humano significa se sentir conectado a outros seres humanos.

O amor é exatamente como nós experimentamos essa conexão. Isso é amor, um sentimento que nos faz sentir ligados aos outros.

O problema é que usamos apenas uma parte muito limitada do nosso potencial mental, assim como experimentamos o amor e todos os outros aspectos da vida de maneira também muito limitada. A parte descrita pela psicologia moderna como a “mente consciente” poderia ser comparada a parte superior da onda. Tudo o resto fica escondido em nosso “subconsciente”. Está lá, mas não somos capazes de experimentar conscientemente. Na parte mais profunda do nosso subconsciente, a onda se funde ao oceano, nível em que estamos todos conectados, ou o que Carl Jung descreveu como o “inconsciente coletivo”.

conscious mind

Por que usamos apenas uma pequena parte de nosso potencial mental? Porque esquecemos como treinar a mente para usá-la mais.

Mas por que somos incapazes de sentir estes níveis mais profundos de nossa mente? Porque esquecemos como fazemos para treinar a mente e o cérebro para experimentar este estado. Nossa mente funciona como um músculo, se treinarmos, ele cresce, se não treinarmos, ele se enfraquece. Quando nossa atenção está voltada para o exterior, focada em um determinado ponto, avivamos a parte do topo da onda. Quando passamos a vida mantendo nossa atenção somente assim, esta será a única área de nossa mente a ser desenvolvida conscientemente. Todo o resto permanece escondido.

O que acontece durante a prática da MT? A mente naturalmente começa a experimentar níveis mais sutis dos pensamentos, como uma onda que mergulha no oceano, até que transcendemos (= ir além) até o estágio mais sutil doe pensamento e entramos no estágio da consciência pura. A onda se funde completamente ao oceano, temos a consciência do próprio oceano, e iremos experimentar conscientemente a nossa verdadeira e ilimitada natureza A onda retornará depois, mas as qualidades da nossa verdadeira natureza permanecerão em nossa mente. A memória da nossa verdadeira natureza permanecerá. Através da repetição regular dessa experiência, começamos a desenvolver nosso potencial mental por completo.

conscious mind 2
Através dessa analogia, podemos começar a compreender, a partir de outra perspectiva, porque a experiência de transcendência só pode ser alcançada de uma forma completamente natural e sem esforço. Se fizermos um esforço, como fazemos com as técnicas de concentração, a única coisa que conseguiremos é manter a mente ativa. E enquanto a mente estiver ativa, a onda permanecerá em sua forma individual. Apenas uma onda completamente silenciosa pode se fundir ao oceano. É por este motivo que a MT não é apenas agradável, é completamente natural e sem esforço, essa é a verdadeira essência da sua eficácia.

meditation technique
Quanto mais se transcende, mais forte permanece a memória, mais perceptíve fica a nossa verdadeira natureza em nossos atos cotidianos. Todas as melhorias espetaculares observadas com a prática da MT em quase todas as áreas da vida são um resultado da transcendência. Esta é a diferença entre o relaxamento normal e a verdadeira transcendência.

Todas as pesquisas sobre a técnica da MT demonstram que:
1. Como é espetacular o poder do corpo de curar a si mesmo
2. O que é a nossa verdadeira natureza.

Qualidades do oceano: a unidade

Podemos descrever as qualidades do oceano, este campo de consciência e fonte de vida, de maneiras diferentes, mas no final tudo se resume à mesma qualidade, ou seja, a unidade.

Hoje em dia é muito comum que a literatura atual descreva conceitos da ligação de uns com os outros, mas o que a maioria das pessoas não percebe é que a unidade está se tornando muito mais uma realidade científica. As descobertas mais recentes na física indicam a realidade de um campo universal de consciência que está na origem do nosso universo material. Unidade: Uma realidade científica?

Unidade: uma realidade científica?

No início de julho de 2001, foi anunciada a descoberta do bóson de Higgs no Grande Colisor de Hádrons do Centro Europeu de Pesquisa Nuclear (CERN, na sigla em francês), na Suíça,  como uma das mais importantes descobertas na história da física. Em essência, este foi o primeiro passo no sentido da verificação final da realidade científica da unidade que subjaz a base de todo nosso universo. Espera-se que nos próximos meses ou em poucos anos, não 1, mas 4 diferentes bósons de Higgs sejam descobertos, o que seria um passo final.

Se há um cientista a quem devemos agradecer pela contribuição científica, é Albert Einstein. Famoso por suas fórmulas que se encontram na base da energia atômica e também pela teoria da relatividade, Einstein trabalhou durante a maior parte de sua vida em outra área da física: a chamada teoria do Campo Unificado. Essa teoria prediz que existe somente um único campo na base de todos os fenômenos da natureza, de toda energia e de todas as partículas materiais.

unified field
A física quântica descobriu há quase 100 anos que todas as partículas materiais elementares que moldam os átomos, moléculas e todo o mundo material são meramente flutuações dos campos subjacentes. Os elétrons (léptons dotados de carga) são criados a partir de campos de elétrons; os quarks, que juntos se tornam os prótons e os nêutrons, derivam de campos dos quarks, e assim por diante. Portanto, a base do nosso mundo material não é material.
Einstein previu que os diferentes campos são expressões de um único campo subjacente que pode causar diferentes fenômenos na natureza através de formas diferentes de vibrações.

gamma rays
Este fenômeno nos é familiar. Podemos ver, por exemplo, que o mesmo campo eletromagnético pode criar, simultaneamente, sinais de rádio, luz, micro-ondas, infravermelho, raio-x entre outros, simplesmente por vibrar em diferentes comprimentos de ondas, Podemos ligar o rádio, acender a lâmpada e ligar o micro-ondas ao mesmo tempo, sabendo que um não irá interferir no outro.

Da mesma forma, presume-se que há um campo subjacente que vibra de diferentes maneiras e, assim, cria todos os diferentes campos de energia em todos os campos materiais diferentes.

Mas há uma grande diferença entre nossa analogia deste campo eletromagnético e o campo unificado que está em sua base. Uma vibração em um campo eletromagnético é sempre causada por um estímulo externo, como por exemplo, um canal de rádio que envia um sinal, o que gera uma vibração.

As ondas de rádio se espalham por todo o campo, e o rádio as recebe. Porém, ao nível deste campo unificado, não existe mais nenhuma energia externa porque o próprio campo unificado cria toda a energia. Isso significa que este campo cria as vibrações a partir de si mesmo.

Se algo pode ser criado a partir de si mesmo, então é necessário que tenha autoconsciência, porque você só é capaz de criar alguma coisa se souber que você existe. Neste campo, portanto, deve haver criatividade e inteligência. Podemos ver claramente que tudo na natureza é criado de uma forma muito inteligente e não apenas ao acaso.

Talvez essas sejam as qualidades da vida, da consciência. Se a realidade do campo unificado é uma realidade científica verdadeira, então por definição, esse campo deve ser um campo de consciência.

É isso o que os antigos textos Védicos descreveram há 5.000 anos: um campo de consciência que se encontra tanto na base da nossa realidade objetiva, material, como na nossa realidade subjetiva, mental. A este nível,  mente e matéria estão interligados.
Por séculos, as pessoas acreditaram que a matéria (o cérebro) criava a vida (a consciência), mas agora parece ser o contrário: a vida cria a matéria. Se pensarmos sobre isso em mais detalhes, faz muito mais sentido. Independentemente do número de microchips colocados em um computador, ele não se torna vivo. Qualquer quantidade de partículas materiais inanimadas não cria vida, mas sabemos que a vida consegue criar objetos materiais. Fazemos isso diariamente: um carpinteiro cria cadeiras; um artista transforma um monte de areia numa estátua.

Na física isso já é conhecido há 50 anos. Há muito tempo foi descoberto que os elétrons podem se comportar como se soubessem que existem outros elétrons. Evidentemente, essas partículas não possuem cérebro e, no entanto, mostram qualidades de consciência.

Essa interpretação das mais recentes descobertas da física não é amplamente aceita no mundo científico, e deve-se mais ao fato de que os cientistas passaram muito tempo pensando em termos exclusivamente materiais, sendo difícil para eles aceitar, de repente, uma realidade totalmente diferente. No entanto, as últimas descobertas da física mostram um quadro muito diferente da vida e da nossa verdadeira natureza, uma imagem muito mais bonita.

Não estamos sozinhos e nunca estivemos.
Os antigos mestres védicos conheciam essa realidade por serem capazes de experimentar, em sua própria consciência, a unidade na base da criação, pois possuíam a técnica que foi perdida ao longo do tempo, a técnica de transcender.

Analisando individualmente as qualidades da unidade, teremos uma visão muito mais clara do porquê dos efeitos excepcionais da Meditação Transcendental, e nos ajudará também a entender melhor nossas qualidades humanas.

Unidade = Life?: criatividade, inteligência, autoconsciência.

As descobertas mais recentes na física apresentam a imagem de um universo em que a vida não é algo que acontece à toa, em um mundo material dormente. Pelo contrário, mostra que a vida é algo universal, um campo universal da consciência. A vida, onde a inteligência, a criatividade e a consciência estão em toda parte na Natureza, e a natureza humana faz parte da Natureza. A vida humana existe porque o corpo humano funciona como um rádio, capaz de manifestar e expressar individualmente este Campo.

Se olharmos para o corpo humano por uma perspectiva puramente lógica, a analogia ao computador, na verdade, não fará sentido. Uma coleção de pequenas bolas inanimadas, como átomos nos chips de computador, independente de quantos existam, nunca irá gerar vida. Mas a vida, com as qualidades de inteligência e de criatividade, pode perfeitamente criar coisas materiais. Basta olhar para os escultores.

Ao transcender entramos em contato novamente com a fonte da vida. Os praticantes da MT sentem-se mais vivos, mais saudáveis e tornam-se mais autoconscientes, mais inteligentes e criativos.

Unidade = Positividade Pura?: Crescimento, evolução, a felicidade, a paz

Em nossa vida diária vivenciamos valores contraditórios, tudo está relacionado a alguma outra coisa oposta a si mesma: quente e frio, claro e escuro, amor e ódio, positivo e negativo, altos e baixos. Na unidade essas contradições desaparecem e apenas uma qualidade permanece, aquela que os textos antigos descrevem como positividade pura?. Observamos essa qualidade da natureza pelo fato de que tudo está sempre crescendo e evoluindo para um estado melhor. Observamos essa qualidade em nós mesmos quando nos sentimos felizes. A felicidade é a expressão de nossa natureza (positiva) e verdadeira. A unidade também está ligada à paz. Quando todas as contradições e todos os conflitos desaparecem, somente a paz permanece.

A primeira coisa que praticantes da MT normalmente experimentam é um profundo estado de paz interior e felicidade. (O que pode ser medido objetivamente, através do aumento da serotonina, o hormônio da felicidade, no cérebro durante a prática da MT). A longo prazo, esse estado de felicidade e de paz interior permanecerão fora da meditação, quando a experiência se torna mais e mais arraigada em nossa personalidade.

“Não lute contra a escuridão, apenas acenda a luz” Maharishi

Ao estimular a positividade em nossa consciência, a negatividade irá desaparecer. O estresse irá desaparecer, pensamentos negativos, depressão e medo também desaparecerão, assim como a escuridão desaparece quando acendemos a luz. É realmente muito simples.

Unidade é estar conectado: amor

Amar é sentir-se conectado à outra pessoa. Em um nível superficial de nossa vida, só sentimos essa conexão de forma limitada por um grupo pequeno de pessoas de quem somos muito próximos: parceiros, família, amigos, etc. Na origem da nossa mente, isto é, no oceano, estamos conectados a todos. Às vezes, nós experimentamos esse sentimento. Quando, por exemplo, enviamos dinheiro para pessoas do outro lado do mundo, a fim de ajuda-las após um desastre natural. Não conhecemos essas são pessoas, nunca tivemos nenhuma conexão física com elas. E ainda assim nos sentimos conectados, queremos ajudar. Porque estamos conectados.

Os praticantes da MT que experimentam regularmente esta realidade irão perceber o crescimento dessas qualidades. Eles se tornam mais amorosos em seus relacionamentos, começam a tratar melhor as outras pessoas, sentem uma conexão mais forte com a natureza, etc.

limited love

Unidade = Onisciência

No nível da nossa vida cotidiana, só temos conhecimento limitado do que acontece em nosso ambiente, coisas que podemos observar com nossos sentidos e analisar com nosso intelecto. No nível do oceano falamos de uma realidade em que tudo está conectado, e onde a informação sobre tudo está disponível. A maioria das pessoas sabe no subconsciente muito mais do que aquilo que está na mente consciente. Às vezes, os impulsos vindos deste nível chegam a nossa mente consciente, ou seja, a intuição, um pressentimento de que sabemos mais do que o nosso intelecto é capaz de nos dizer. Algumas pessoas são mais intuitivas do que outras, da mesma forma como algumas pessoas têm mais talento para um esporte ou para tocar piano. Eles apenas desenvolveram uma habilidade que é inata a todos.

Os praticantes da MT são mais intuitivos, adquirem o pensamento certo na hora certa, como se um supercomputador existisse e fosse capaz de calcular todos os resultados de todos os pensamentos possíveis e, em seguida, de acordo com a sua natureza puramente positiva? , criasse o pensamento mais positivo, tanto para o indivíduo quanto para seu ambiente.

Os alunos da Maharishi School of the Age of Enlightenment (Escola Maharishi da Era da Iluminação) nos Estados Unidos são um bom exemplo de como chegar espontaneamente ao pensamento correto. É uma escola pequena em Iowa, onde as crianças praticam a Meditação Transcendental ao longo do ensino fundamental I e II. Estes alunos ganharam 4 vezes o campeonato mundial do Destination Imagination, uma competição de resolução criativa de problemas (a cada ano as 100.000 crianças mais criativas do mundo participam de uma série de competições). Nenhuma outra escola no mundo foi capaz de reproduzir este feito. O que acontece é que esses alunos têm a solução criativa certa na hora certa. Esse sucesso extraordinário é uma das razões pelas quais cada vez mais governos apoiam a MT na educação.

local knowledge

Unidade = Poder organizador infinito

No nível do oceano tudo é criado dentro do próprio oceano. Neste nível, falamos da onipotência, um poder organizador infinito. Os indivíduos têm a capacidade de criar, não só com as mãos, mas também através da sua própria consciência. Na literatura atual há varias menções ao pensamento positivo, visualizações e afirmações. Quando nos concentramos em coisas positivas, notamos que o nosso ambiente torna-se mais positivo e motivador, é como diz a teoria.

Na prática, isso só funciona para algumas pessoas, a maioria das pessoas ainda leva um tempo longo antes de notar algum efeito, porque nós tentamos criar uma influência na parte mais superficial da nossa mente consciente.

homem pedra água
É como jogar uma pedra em um lago de uma distância longa. Você só pode jogar uma pedra pequena, e as ondas que você é capaz de criar (a influência que você pode criar) não são muito grandes, são quase imperceptíveis. Ao praticar a MT começamos a aprender como usar uma parte maior de nosso potencial mental, como se nós estivéssemos chegando mais perto do lago. Agora estamos em condições de jogar pedras maiores, com efeitos maiores.

Os praticantes da MT notam com o tempo que recebem espontaneamente o pensamento correto, como também recebem mais apoio do seu ambiente para o êxito desse pensamento. Em termos religiosos, pode-se dizer que “a vontade de Deus” apoia o pensamento, e tudo é organizado para fazer o pensamento do desejo acontecer. É por isso que os praticantes da MT geralmente têm mais sucesso, pessoal e profissionalmente.

Estudos realizados na Noruega, por exemplo, demonstram que a diferença entre as pessoas extremamente bem-sucedidas e as normais está diretamente ligada à forma coerente como o cérebro funciona como um todo (uma forma de medir objetivamente como transcender nossa consciência está integrada a vida cotidiana). A diferença entre os gestores normais e gestores de ponta, atletas normais e atletas de nível mundial, está no cérebro. (veja: desenvolvimento do potencial cerebral)

Unidade, mensurável no cérebro?

Todos esses conceitos podem parecer muito abstratos e distantes da vida prática, mas com a tecnologia moderna podemos ver os efeitos práticos imediatamente. Através de medidas de coerência do EEG, podemos ver em tempo real como o cérebro fica mais interconectado, e começa a funcionar como um todo unificado. A coerência do EEG tem sido associada à diminuição do TDAH, da impulsividade, de neuroses e da instabilidade emocional; e ao aumento do comportamento ético (mais amor), da inteligência e da criatividade. Também está associada a melhor capacidade de aprendizagem, a reflexos mais rápidos, melhores resultados acadêmicos, etc. Tudo o que torna a vida humana tão especial parece melhorar quando o cérebro começa a funcionar como um todo unificado. E a transcendência é o método mais poderoso, já pesquisado, para criar este funcionamento unificado.

Unidade = Invencibilidade

A transcendência tem efeito em todas as áreas da vida, tudo ao mesmo tempo, porque nos põe em contato com a fonte da vida. Este fato é confirmado por mais de 600 estudos e 350 publicações sobre a MT. Mas todos estes progressos são efeitos colaterais de um novo estado que cresce dentro de nossa consciência, um estado que Maharishi gostava de descrever com a palavra “invencibilidade”.

Neste estado a nossa paz interior e felicidade são invencíveis, nada nem ninguém consegue perturbá-la, aconteça o que acontecer. Neste estado, experimentamos um potencial criativo invencível. Não há nenhum problema sem solução (como os alunos da escola Maharishi, eles não são totalmente invencíveis, já que eles não ganharam todos os campeonatos mundiais, mas venceram mais vezes do que qualquer outra escola do mundo). Neste estado, sentimos uma conexão invencível, um amor pelos outros que não pode ser ofuscado por nada, nem por ninguém.

A mensagem que Maharishi trouxe desde o início é: todos têm o direito de vivenciar esse estado. Esta é a vida real. Nós temos que aprender a entrar em contato novamente com essa fonte.

homem barbudo

“Eu chamo o meu método de meditação, mas é, na verdade, uma técnica de autoexploração; ele permite que o homem mergulhe no mais profundo do seu ser, onde habitam a essência da vida, a fonte de toda sabedoria, toda a criatividade, toda a paz, e toda a felicidade… A palavra meditação não é nova, nem os benefícios da meditação são novos… Mas por séculos esta técnica de meditação ficou esquecida. É por isso que o homem sofre, ou parece sofrer.”
Maharishi Mahesh Yogi

Desenvolvimento do cérebro

Pesquisas que utilizam tecnologias modernas confirmam as afirmações de mais de 500 anos dos textos antigos: a transcendência é essencial para o nosso completo desenvolvimento

cabeça colorida
O cérebro é como um músculo. Ao ser treinado, torna-se mais forte, caso contrário, encolherá. Usamos somente uma pequena parte de nosso potencial cerebral. Não treinamos nosso cérebro para aumentar sua capacidade. Este treinamento chama-se transcendência.

Toda experiência estimula uma parte de nosso cérebro. Quando vemos algo, os neurônios em nosso córtex visual fazem vários tipos de conexões, aumentando a capacidade da rede de informação. Mas, se só temos experiências parciais (por exemplo, podemos ver o que está dentro do quarto, mas não o que há fora dele), utilizamos apenas uma parte limitada do nosso cérebro. Outras partes não são estimuladas, não conseguem fazer as conexões necessárias, e como resultado, os neurônios começam a morrer.

increased use of

A transcendência é uma experiência da fonte unificada de tudo o que existe. Não é uma experiência parcial. É onde a onda individual de nossa consciência se funde com o oceano infinito, sua fonte universal.

Atualmente os benefícios desta experiência em nosso cérebro podem ser avaliados através da ressonância magnética. O mesmo impulso irá afetar uma parte muito maior do nosso cérebro, incluindo as chamadas “reservas ocultas”. Ref

Mas há maneiras ainda mais interessantes de avaliar o que acontece no cérebro sem a necessidade de scanners caros. É possível utilizar um laptop normal, através de medições da coerência no EEG.

cerebro pontinhos
Quando uma parte do cérebro está ativa, há uma atividade elétrica que pode ser medida pelo electroencefalograma (EEG), um instrumento de visualização de informações em ondas.

As ondas de EEG de diferentes partes do cérebro são então enviadas para o computador que calcula, em tempo real, em que grau as diferentes ondas se sobrepõem (= exibição de coerência).

Uma coerência grande significa que diferentes partes do cérebro funcionam juntas, como um todo.

Durante as atividades normais essa coerência é bastante baixa, entre 30 e 40%. Durante a transcendência, no entanto, a mente experimenta um estado de unidade, provocando um impacto imediato e mensurável sobre o cérebro que começa a trabalhar como um todo unificado. Veja abaixo um vídeo sobre como este processo ocorre em tempo real.

Ao experimentar regularmente a unidade, estimulamos o crescimento completo do cérebro.

Quanto mais o cérebro experimenta a alta coerência no EEG, mais se acostuma com o funcionamento ideal, mesmo sem estar praticando a MT, como pode ser observado na pesquisa abaixo. Ref

brain coerence outside

Este gráfico mostra a evolução dos valores médios do EEG em 50 estudantes ao longo de 12 meses. Não há diferença da coerência no EEG durante os exercícios da MT para os que praticam há 2 meses ou há 12 meses. A transcendência não melhora com a prática. Como é um processo totalmente natural, é possível transcender logo na primeira vez. Contudo, podemos ver a diferença durante a atividade fora dos exercícios da MT: o aumento da coerência no EEG torna-se mais estabilizado.

Os 30 anos de pesquisa sobre a coerência no EEG demonstram que tudo o que é bom em nosso cérebro melhora se este for capaz de funcionar com maior eficiência, como um todo. O QI, a criatividade, a capacidade de aprender e a estabilidade emocional aumentam, a concentração melhora, a impulsividade diminui e as pessoas têm comportamentos mais éticos. Até mesmo os sintomas de TDAH, que têm sido associados à baixa coerência no EEG, desaparecem naturalmente. Na essência, a coerência no EEG mede objetivamente como as qualidades de unidade podem aumentar em nossa consciência.

O aumento da coerência no EEG só é alcançado através da transcendência, a verdadeira experiência de unidade que influencia o cérebro. O relaxamento normal não aumenta a coerência no EEG. É por isso que a técnica da MT tem um efeito muito mais forte na inteligência, criatividade e desempenho escolar do que as outras formas de meditação.

Conclusão

Se comprássemos um laptop novo e descobríssemos que ele só funciona com 10% da velocidade prometida, devolveríamos o equipamento. Voltaríamos à loja para exigir o conserto ou a atualização da máquina. Mas se ninguém conhecesse o potencial verdadeiro do computador e se todos os computadores trabalhassem com velocidade lenta, então, os 10% seriam “normais”.
Ao longo dos séculos, os professores têm “anunciado” o potencial verdadeiro da humanidade, e por vezes oferecem exemplos das reais possibilidades do sistema nervoso humano, mas a técnica para obter este resultado foi perdida. Maharishi sempre disse que a Meditação Transcendental não era nova, podendo ser encontrada nas escrituras de culturas antigas. Ele apenas redescobriu o método prático e transformou-o em uma técnica sistemática.

Todos os benefícios da técnica da Meditação Transcendental podem ser encontrados neste site: saúde melhor, maior contato consigo mesmo, melhores relacionamentos, inteligência, sucesso pessoal e profissional. Todos são benefícios colaterais em razão do desenvolvimento de nosso potencial, o crescimento para um estado de vida em que as qualidades da consciência transcendental (descanso, paz, felicidade, amor, infinita criatividade, inteligência e o “estar conectado”) estão permanentemente presentes em nossas vidas.
Este é o estado descrito por Maharishi como “invencibilidade”.

Existem outras técnicas avançadas da Meditação Transcendental que podem acelerar o crescimento para os estados mais elevados de consciência. Estas técnicas podem ser aprendidas após a instrução da MT. Uma dessas técnicas é o programa MT-Sidhis, que inclui uma técnica conhecida como Vôo Yóguico. (O que é o programa de MT-Siddhis?) 

O que é o programa de MT-Siddhis?

“Siddhis” é uma palavra sânscrita muito usada para indicar poderes sobrenaturais, no entanto, seu significado literal é “perfeição”.

O programa de MT-Siddhis foi estruturado por Maharishi em 1976, a partir do conhecimento védico. É um programa de técnicas avançadas para alguém que já aprendeu a MT e também as outras 4 técnicas avançadas, num período total de, pelo menos, 12 a 16 meses após a instrução pessoal. O programa de MT-Siddhis acelera a integração e o desenvolvimento do pleno potencial cerebral até atingir o estado de perfeição. Se já conseguimos realizar muito usando apenas 5% a 10% de nossa capacidade cerebral, imagine quais seriam as possibilidades se começássemos a usar muito mais que isso.
Um dos vários aspectos do programa de MT-Siddhis é o vôo yóguico. Por meio dessa técnica, o corpo se eleva devido a um impulso mental. Para um estranho parece mais alguns pulos do que realmente levitação, pois o corpo se eleva e imediatamente cai. Porém, muito mais importante do que acontece no exterior é o que acontece internamente.

pessoas meditando
Durante o Vôo Yóguico, o praticante sempre sente uma onda de felicidade e bem-aventurança interior, e também muita energia. Quando atletas profissionais tentaram imitar o vôo yóguico, muitos ficaram exaustos após 15 minutos. Contudo, o voador yóguico consegue manter essa prática por uma hora, e quando termina sente-se com muito mais energia do que antes de começar.
No entanto, as mudanças mais importantes acontecem no cérebro. Durante a experiência de transcender o cérebro começa a funcionar como um todo, de acordo com as medições de coerência feitas através do EEG. Normalmente, a atividade física e a coerência do EEG estão inversamente correlacionadas. Quando mergulhamos no transcendente, experimentamos um repouso interior muito profundo, assim a atividade física diminui enquanto a coerência do EEG aumenta.

eeg cd
Um estudo publicado na Revista Internacional de Neurociência mostrou que durante o Vôo Yóguico há coerência cerebral máxima, enquanto a atividade física (batimento cardíaco) aumenta, o que indica uma integração mais rápida da coerência do EEG na atividade. A coerência do EEG relaciona-se a tudo que é bom na vida. Os estudos também indicaram que a diferença entre uma pessoa que atinge o nível mais elevado em sua carreira e alguém com um desempenho mediano, deve-se principalmente à eficiência cerebral, que está relacionada à coerência do EEG.

Dezenas de estudos também confirmaram que os benefícios da MT aumentam muito mais rapidamente quando se pratica o programa de MT-Siddhis.

O programa de MT-Siddhis e o Vôo Yóguico são, provavelmente, as técnicas mais poderosas para o crescimento espiritual e o desenvolvimento de nosso pleno potencial cerebral disponíveis atualmente. Mais de 200.000 meditantes em todo o mundo já aprenderam o programa de MT-Siddhis.