Conclusão de 12 estudos com 4000 pessoas: A MT funciona, ainda que nada mais funcione.

A MT é de 2 a 10 vezes mais eficaz do que os outros métodos, principalmente entre grandes consumidores de álcool.

Quanto maior o tempo de prática da MT, menor será o consumo de álcool.

Quanto mais tempo se pratica a MT, menor será a necessidade de beber

Assim como os vícios em tabaco e drogas, vários estudos sobre o vício do álcool confirmaram a experiência de muitos praticantes da MT, que quanto mais se pratica a técnica da MT, menor a necessidade de beber em exagero.

JH12-Decreased-AlcoholIsso é bem ilustrado por um estudo realizado com 1.862 praticantes da MT, conduzido por cientistas da Harvard Medical School. (Clique no gráfico para aumentá-lo). O número total de usuários “graves” foi reduzido pela metade após 10 meses. Mas se olharmos detalhadamente, veremos que o número de usuários “leves” diminuiu em 30% e o número de usuários “graves” diminuiu quase 80% (de 19% antes de iniciar a MT para 4% depois de 10 meses). O efeito é mais forte para aqueles que mais precisam. Ref. 

Nota: Este não foi um estudo onde as pessoas aprenderam a MT com a intenção de reduzir o consumo de álcool. Pesquisadores apenas observaram o comportamento natural de 1800 praticantes da MT após certo período de prática. Se a pessoa realmente tem a intenção de parar, o efeito é geralmente muito mais forte.

HJ-alcohol-meta-onthouders-213x188Os resultados crescentes da prática contínua da MT destoam da maioria dos outros métodos. Todos aqueles que concluíram com êxito o tratamento através de outros métodos que não a MT demonstraram que: 35% voltaram a beber após um mês (de 100% abstêmios a 65% após um mês). Após 3 meses, quase 60% teve recaída. Isso mostra o quão difícil é tratar o alcoolismo em um nível superficial.

Para mais estudos que confirmem estes resultados, veja: pesquisas sobre álcool e vícios.. É muito interessante saber que em vários desses estudos, o objetivo principal não era a redução do uso de álcool. No entanto, foi observado esse efeito colateral natural, enquanto outras mudanças eram pesquisadas, como a diminuição da depressão ou da ansiedade.